Blog Casa do Páteo

Os ambientes e as estações do ano

Carmo Pais Decoração, Dicas January 25, 2017

 

2016-06-21 08.22.17

Porque será que gostamos de recriar os ambientes de nossa casa ao longo do ano?

Pensamos que tem a ver com o nosso estado de espírito e com o modo de vivermos as estações do ano.

Quando temos frio, gostamos de ir buscar as cores quentes e quando está calor buscamos as cores frias. Tudo isto é natural…mas nem todas as pessoas conseguem alterar os ambientes que gostariam de ter, sem recorrerem a ajuda.

É por isso que estamos cá! Consulte-nos.

This is not a chair – 2017

Carmo Pais Design, This is not a chair January 11, 2017

DSC05000DSC04998

Continuamos a trabalhar na divulgação da linha: “This is not a chair”.

Para o próximo mês terão novidades sobre este assunto. Estejam atentos!

Entretanto…se quiserem ver as peças ou se as quiserem comprar poderão fazê-lo através do site:

www.thisisnotachair.com ou indo à loja “A linha da vizinha” em Lisboa.

(as fotos acima são protótipos em balsa das peças)

Sobre interiores: Parque natureza de Noudar III (“casa da malta”)

Carmo Pais Decoração, Projeto de interiores January 6, 2017

5 (4)9 (2)9 (1)

“Casa da Malta” chamava-se ao edifício anexo ao principal que era para os trabalhadores da Herdade.

Hoje em dia foi aproveitado para grupos de crianças de escolas ou apenas grupos de jovens passarem alguns dias

de descanso, pesquisa e confraternização.

Nas fotos podem ver-se: corredor dos quartos, a sala da “casa da malta” e os quartos.

A sala de convívio tem essencialmente grandes puffs, grandes sofás e almofadas para se sentarem :

A paleta de tons: cinza, creme e castanho, sempre de acordo com a côr base do interior do edifício.

Nos quartos escolhemos beliches lacados à côr das portas dos quartos  com colchas e almofadas de cores alegres

dentro do bric,  bordeaux e amarelo.

Sobre interiores: Parque Natureza de Noudar II (quartos )

Carmo Pais Decoração, Projeto de interiores January 5, 2017

6 (2)6 (1)

Continuando a mostrar o nosso trabalho: (no edifício principal)

As camas quase todas são de dussel. O desenho das mesmas, bem como as cómodas e mesas de cabeceira são da Maria do Carmo Pais.

No corredor dos quartos , os mesmos são identificados com nomes de plantas da região: alecrim, jacinto… para isso escolhemos uma peça da marca C.Quoi :

“Mur-mur” em ardósia.

Colocámos o nome da planta escrito a giz e a planta ao vivo no pequeno vaso por detrás da placa identificadora.

A paleta de cores situa-se entre os brancos, cremes e bordeaux.

 

Sobre interiores do Parque Natureza de Noudar – I (sala)

Carmo Pais Projeto de interiores December 13, 2016

2 (2)2 (1)

Hoje quisemos relembrar um projeto que quanto a nós é um projeto muito coerente, daí o queremos partilhar convosco.

Este foi o ambiente da sala de estar que criámos.

Cores quentes e aconchegantes aproveitando a côr do pavimento e das portas deste edifício principal.

Escolhemos uns sofás e uns cadeirões muito confortáveis, estes últimos colocámos à volta da mesa.

Tapete,  só colocámos um na zona dos sofás.

Criámos 2 zonas distintas, uma de estar e outra com mesa para jogos ou para lanchar.

Para a semana falaremos dos quartos deste edifício principal, esteja atento.

Até breve!

 

Pequenos pormenores que são importantes…

Carmo Pais Dicas, Ideias December 6, 2016

 

11.11.29 00211.11.29 013

Quando se aproxima a época natalícia  gostamos  que o ambiente da casa acompanhe esta festa que reúne a família.

A Interiorismo poderá, com a sua ajuda e as suas dicas, ajudá-la(o) a contribuir para que esse ambiente se torne o “seu ambiente” e o faça sentir-se bem na companhia de quem mais gosta.

Contacte-nos!

Boas festas.

Consola “olhos nos olhos”em dois ambientes diferentes

Carmo Pais Design, Dicas, Ideias, Projeto de interiores November 21, 2016

915Legenda: Uma das consolas da coleção “this is not a chair” que se chama: “Olhos nos olhos”.

  • Gostamos que as nossas peças possam ser colocadas em ambientes diferentes.
  • Gostamos que se perceba que peças contemporâneas possam ser misturadas com peças antigas.
  • Gostamos que a imaginação não pare e que a coleção: “this is not a chair” esteja na vossa seleção.

Aproveite e veja as outras duas consolas, as cabeceiras de cama e a peça “This is a mirror”, visitando o site: www.thisisnotachair.com.

 

Gostamos de conversar e trocar ideias…

Carmo Pais Decoração November 15, 2016

MÃOS

Gostamos de conversar e trocar ideias.

E por esse motivo, convidamos as pessoas que nos lêem a questionarem-nos , no sentido de tornarem este blog mais dinâmico.

Pensamos que o nosso aconselhamento poderá vir a ser útil para a resolução de preocupações que vos possam surgir.

Estamos à vossa espera .

A propósito do texto de hoje de Frederico Lourenço…*

Carmo Pais Acontecimentos actuais November 3, 2016
14370174_1006723492759318_5280020478323360259_n
O Frederico Lourenço escreveu hoje:
“No espelho
“São coisas misteriosas os espelhos.”
Assim começa o romance “Canção diante duma Porta Fechada” de Agustina Bessa-Luís.
Mas o espelho não é por definição o objecto menos misterioso do mundo? Reflecte, apenas. Não sendo, limita-se a reflectir o que é. Em si não é nada. É apenas a minha imagem quando dele me aproximo.
No entanto, como escreve Agustina, “nenhum espelho reflecte um rosto igual, não há dois espelhos idênticos em toda a terra”.
Nos vários espelhos que tenho em minha casa, a minha cara é sempre diferente em todos eles. O meu corpo ainda mais: é mais gordo do que é na realidade no espelho do meu quarto, mais musculado no da sala, mais magro no da casa de banho.
“As imagens que os espelhos nos devolvem”, escreve Agustina, “são criações que partem do nosso conceito de ser”.
Na verdade, o espelho não me devolve o que eu sou. Devolve-me a construção que eu faço de mim ao ver-me no espelho. Construção mais ou menos verosímil, se quisermos; ou (para citar de novo Agustina) “provável pelo absurdo”.
Alegadamente, o esplho dá-nos a ver o visível. Mas como escreve Agustina, “o visível não é responsável em si mesmo”.
O mesmo se aplica ao reflectido. O meu reflexo não é quem eu sou. É quem eu acabei de ser há uma fracção de segundo. No momento em que me vejo, já não estou a ver quem sou agora. Porque no preciso momento em que consciencializo quem sou, já a passagem do tempo me colocou noutro momento, também já irrecuperável no segundo em que é consciencializado. O reflectido já de si está perdido de antemão.”
*(Como gostámos muito reproduzimos o texto e resolvemos ilustrar com a peça: “this is a mirror” da coleção “this is not a chair”)